Margarida Corceiro: atriz reage em longa mensagem

Atriz partilhou publicação na rede social instagram onde falou abertamente sobre o quão pesado foi e é lidar com tamanha situação, sobretudo quando não se tem o apoio ou uma estrutura forte – que, não sendo o seu caso, é o de muitas pessoas que passam pelo mesmo.

“Voltar aqui, depois de tudo o que se tem dito sobre mim e sobre a minha imagem, não é fácil. Mas cá estou. As redes sociais têm o bom da partilha positiva e a fragilidade da partilha negativa. Que sirva de ponto final para outros casos e que vos ajude a perceber a gravidade da situação. Quero que imaginem. Quero que calcem os meus sapatos – meus e de todas as pessoas a quem isto já aconteceu. Imaginem estar tranquilos na vossa casa ou no vosso trabalho e encontrarem uma imagem, que dizem ser vossa, a circular pela internet. Milhões de comentários especulativos, milhares de mensagens, telefonemas sem parar e, o mais difícil, verem todos os vossos amigos e família a ter de lidar com tudo o que vai saindo sobre vocês. Sem poderem fazer nada”, começou por dizer “Magui”.

Mas continua a atriz, na longa mensagem: “Imaginem sair à rua e terem a sensação de que estão todos a olhar para vocês. Imaginem vir nas capas de jornais, das revistas. Aparecer como destaque de sites, ser tendência numa rede social, por motivos completamente alheios à vossa vontade. O meu telefone parou e eu parei com ele. Mesmo estando habituada a ter o meu nome ‘a concurso’ e dezenas de mentiras diárias a circular sobre mim – que algumas até me fazem rir muito – desta vez não deu para rir. E sabem porquê? Porque eu tenho a sorte de ter uma estrutura familiar coesa, amigos presentes e profissionais que me acompanham e ajudam a lidar com a situação. Mas há centenas de pessoas que não têm”, deixou claro.

“Garanto-vos que não me ri com as mensagens que recebi de pessoas com histórias semelhantes e que, por isso, só queriam desaparecer e pôr termo à vida. Não me ri com histórias de pessoas que acabaram mesmo por fazê-lo por verem a sua intimidade completamente violada e repartilhada, vezes e vezes sem conta. Recordo, tudo porque alguém decidiu fazer uma partilha. Somo assim tão pequeninos para precisarmos de devassa, partilha, escrutínio e julgamento? Somos assim tão fracos para não conseguirmos acabar com o ‘olha aqui o que me enviaram’? Garanto-vos que deste lado fiquei muito surpreendida, pela negativa, por saber que dar corpo a um monstro está nas nossas mãos e que, muitos, escolhem alimentá-lo e continuar a corrente sem nunca pensar no impacto que pode estar a ter na vida de alguém”, frisou.

“Que esta minha partilha ajude a refletir sobre este tema e que permita que as centenas de pessoas a quem isto já aconteceu, sobretudo mulheres, possam ser percebidas e não julgadas. E, lembrem-se, agora foi comigo, amanhã pode ser convosco ou com alguém que vos é muito próximo. Termino a agradecer-vos todo o apoio que me foi chegando nestes dias direta ou indiretamente. Tenho muita sorte em estar tão bem acompanhada, senti todo o vosso apoio e li cada uma das vossas mensagens. Muito obrigada!, termina na longa carta aberta.

Fonte: Instagram Margarida Corceiro